Entrada
Entrada
O Centro
Investigação
Investigadores
Actividades Destaques 2015-2018 2014-2011 2010-2007 2006-2003 2002-1999
Formação
Publicações
Biblioteca
Redes Internacionais
Recursos Electrónicos
Call for Papers
Boletim
Ligações úteis
Contactos

English VersionCEC no FacebookCEC no YouTube
Entrada seta Actividades seta Curso de Formação de Professores/Curso Livre com ECTS Miúdos: a vida, às mãos cheias.

Curso de Formação de Professores/Curso Livre com ECTS Miúdos: a vida, às mãos cheias.

Datas: 14 de Dezembro de 2017 - 30 de Setembro de 2018
Locais: Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Museu do Neo-realismo e Museu João de Deus
Cartaz da exposição | Programa (inclui a programação completa dos cursos) | Ficha de inscrição


O curso livre/curso de formação de professores Miúdos: a vida, às mãos cheias. A infância do neo-realismo português é composto por 8 módulos e corresponde a grande parte da programação de actividades paralelas a exposição temporária com título homónimo do Museu do Neo-Realismo, aberta ao público entre Dezembro de 2017 e Setembro de 2018.

A inauguração da exposição será no dia 14/12 às 19h00 no Museu do Neo-Realismo em Vila Franca de Xira.

Pretende aprofundar o conhecimento sobre a reflexão histórico-cultural, literária e artística em torno do tema da infância no movimento neo-realista. Este tópico é uma das dimensões mais significativas da construção e conquista da contra-hegemonia cultural do neo-realismo à política do espírito salazarista e ao seu fortíssimo investimento simbólico, político-organizativo e repressivo em torno daquela faixa etária. Para os neo-realistas, a criança é um dos ícones da esperança, da emancipação social e da potência transformadora de futuro.

Entre finais da década de 1930 e 1960, sem o domínio dos media audiovisuais e coarctados pela Censura e por outras formas de repressão, os neo-realistas e seus companheiros apostaram nas expressões artísticas sobre as crianças (na literatura, na pintura, escultura, fotografia, na arte pública). A partir de finais dos anos 1940, escrevendo para crianças, não raro valorizaram o cruzamento inter-artístico da literatura infantil, da ilustração/fotografia e da música.

Está implícita no projecto neo-realista a vontade de chegar a novos públicos. Para o efeito os neo-realistas criaram, de forma perseverante, sucessivas estruturas alternativas de edição, promoção e circulação das obras e respectivos autores. Lutaram contra um isolamento social forçado e não obstante a dimensão polémica intrínseca ao movimento, foram capazes de ganhar terreno e projectar uma dinâmica artística e intelectual relevante, graças às redes de sociabilidade e camaradagem que os ligavam.

Organização: Paula Morão, Carina Infante do Carmo e Violante F. Magalhães
Instruções de inscrição:
A inscrição no curso deverá ser realizada até ao dia 11 de Janeiro 2018, através do preenchimento do formulário disponível no link acima, e envio para o e-mail Este endereço de email está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email . Uma vez registada a inscrição será gerado uma referência multibanco para que possam proceder ao respectivo pagamento.

Contacto: Raquel Lima (CEC): Este endereço de email está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

Actividade realizada no âmbito do projecto de investigação Textualidades do grupo MORPHE.

 







| Imprimir | Adicionar aos Favoritos |

Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
conteúdos: © 2006 - 2017, Centro de Estudos Comparatistas
textos assinados: © autor respectivo